Navegação – Mapa do site
Ensaios fotográficos

Eu Vou de Bike: a ocupação de bicicletas nos espaços públicos de São Paulo

I Go By Bike: the bicycle occupation of public spaces in São Paulo
Carolina Cássia Conceição Abilio e Maria da Penha Vasconcellos

Notas do autor

Todas as fotos registradas por Carolina Abilio, na cidade de São Paulo, durante o ano de 2016.

Texto integral

1Desde 2012 na cidade de São Paulo observamos o aumento da mobilidade por meio de bicicletas. Ciclistas a passeio, individualmente ou em grupos, competidores esportivos, e aqueles que fazem uso da bicicleta para trajetos de origem e destino no deslocamento ao trabalho, tomaram as ruas da cidade e podem ser facilmente vistos cruzando suas vias e avenidas.

2A incorporação desses atores na dinâmica da cidade foi acompanhada de tensão e agressividade por parte de outros seguimentos da população, particularmente, usuários de outras formas de transporte. Os espaços urbanos pareciam já “ocupados” o suficiente na disputa pelo ir e vir, em circunstancias e entraves que vão desde pouca mobilidade para alguns até mobilidade em excesso de outros. Nesse cenário, a magrela passou a ser vista como intrusa no contexto do espaço da cidade e na disputa por circulação (Urry 2007:12).

3A introdução da bicicleta como protagonista e peça-chave da narrativa sobre mobilidade urbana em âmbito municipal ocorre na gestão Fernando Haddad (Partido dos Trabalhadores, 2012-2016), com ampla repercussão nacional e internacionalmente. Um conjunto de ações de políticas públicas drasticamente alteraram a realidade da bicicleta na cidade, mais do que dobrando a quilometragem de ciclovias e ciclofaixas, assim como a abertura de bicicletários públicos e viabilização do transporte de bicicletas em algumas linhas de ônibus da cidade. Frente a isso, o número de ciclistas no meio urbano cresceu exponencialmente e a bicicleta tomou lugar de destaque como ícone de uma mudança de paradigma no campo da mobilidade urbana.

4Este ensaio fotográfico tem como objetivo apresentar a inserção da bicicleta e seus diferentes usos encontradas na cidade de São Paulo, no lazer, mobilidade, como instrumento de trabalho e como valor de distinção, modernidade e pertencimento.

5As imagens foram registradas ao longo de 12 meses como observação de campo do projeto de mestrado “Subjetividade sobre Duas Rodas”, realizado no Programa de Mestrado Profissional em Ambiente, Saúde e Sustentabilidade da Faculdade de Saúde Pública da USP. As observações foram realizadas em diversas regiões da cidade e integra-se sob o enquadre teórico de métodos em movimento e na dinâmica crescente que caracteriza o que alguns autores descrevem como uma virada imagética no campo das ciências humanas e sociais (Hollanda 2012:2-5; Przyborski, Slunecko 2012:41; Urry 2007:17).

6Para além das transformações digitais, a profusão das imagens nos mais diversos espaços sociais enfatiza que o nosso acesso ao mundo é igualmente mediado por imagens quanto pela linguagem. As imagens, assim como a linguagem, não são estruturas dadas sobre determinados objetos ou fatos, mas sim construções sociais que abarcam significados ao mesmo tempo mediados e construídos por elas. Contudo, se considerarmos que a imagem é regida por uma lógica outra, não-verbal, devemos nos distanciarmos da ideia de que o sentido social é apenas apreendido pela linguagem e considerar ambas as formas de compreensão, discursiva e imagética, como sendo de igual importância para o entendimento social e psicológico dos indivíduos e da sociedade (Przyborski, Slunecko 2012:40).

  • 1 Vide pesquisa de perfil de pessoas que usam a bicicleta em São Paulo, realizada pela Associação do (...)

Foto 1: Senhor atravessa a rua com sua bicicleta, em bairro da zona norte. Apesar de a bicicleta ser popularmente associada à juventude, 42% de ciclistas tem mais de 35 anos de idade1.

Foto 2: Placa anunciando bicicletário para clientes de uma loja de varejo na região central da cidade. Com o aumento do número de ciclistas, muitos comércios passaram a disponibilizar paraciclos ou bicicletários e integram o circuito desse novo design de mobiliário urbano.

Foto 3: Folheto de divulgação de empreendimento imobiliário no bairro de Pinheiros, zona oeste. A indicação de distância através do tempo por caminhada e bicicleta indica uma possível mudança cultural com relação à opções de mobilidade.

Foto 4: Rapaz conversa com jovem sentado em sua bicicleta em frente ao edifício nº 911 da Av. Prestes Maia, a maior ocupação vertical da América Latina. A bicicleta está presente em diferentes camadas populacionais e políticas que democratizam seu uso e acesso tem impacto direto na segregação socioespacial.

Foto 5: Bicicleta com suporte para carregamento de cargas contendo placa com a indicação ‘menos um carro’, avistada no bairro de Pinheiros, região oeste da cidade.

Foto 6: Grupo de moradores de rua expõe bicicleta com o anúncio “Aceitamos Doações”, próximo ao terminal de ônibus de Santana, zona norte da cidade.

Foto 7: Grupo de ciclistas realiza pausa em uma manhã de sábado, durante trajeto próximo à estação Vila Prudente do metrô, zona leste. Conhecidos como ‘grupos de pedal’, estão presentes em todas as regiões da cidade e organizam-se predominantemente online.

Foto 8: Vendedor utiliza bicicleta para expor seus produtos em região comercial da zona norte da cidade. Com poucas adaptações necessárias para sua utilização comercial, a bicicleta é uma possibilidade prática e barata para o transporte tanto do vendedor quanto de seus produtos.

Foto 9: Juliana, barista, posa ao lado de sua bicicleta adaptada, o bike café ‘Café com Calma’. De modo similar aos food trucks, food bikes se espalharam pelo cenário da cidade e estão presentes em vários locais, alcançando clientes além da comunidade de ciclistas.

Foto 10: Alguns serviços públicos também adotaram a bicicleta no seu dia-a-dia, como agentes de trânsito e lixeiros. Na foto, bicicletas customizadas utilizadas por policiais em uma base móvel localizada na entrada do parque Trianon, na Av. Paulista.

Topo da página

Bibliografia

HOLLANDA, Carolina de. 2012. “A fotografia como instrumento de observação urbana: uma questão convergente em pesquisa sobre as cidades”. V!RUS, São Carlos, n. 7.

CICLOCIDADE. 2015. Pesquisa: Perfil de Quem Usa Bicicleta na Cidade de São Paulo - Arquivo de Apresentação. Disponível em http://www.ciclocidade.org.br/noticias/773-pesquisa-perfil-de-quem-usa-bicicleta-na-cidade-de-sao-paulo-arquivo-de-apresentacao.

PRZYBORSKI, Aglaja; SLUNECKO, Thomas. 2012. “Learning to think iconically in the human and social sciences”. Integrative Psychological & Behavioral Science, n 46(1): 39-56.

URRY, John. 2007. Mobilities. Cambridge: Polity Press.

Topo da página

Notas

1 Vide pesquisa de perfil de pessoas que usam a bicicleta em São Paulo, realizada pela Associação dos Ciclistas Urbanos (Ciclocidade): http://www.ciclocidade.org.br/noticias/773-pesquisa-perfil-de-quem-usa-bicicleta-na-cidade-de-sao-paulo-arquivo-de-apresentacao

Topo da página

Índice das ilustrações

Legenda Foto 1: Senhor atravessa a rua com sua bicicleta, em bairro da zona norte. Apesar de a bicicleta ser popularmente associada à juventude, 42% de ciclistas tem mais de 35 anos de idade1.
URL http://pontourbe.revues.org/docannexe/image/3476/img-1.jpg
Ficheiros image/jpeg, 81k
Legenda Foto 2: Placa anunciando bicicletário para clientes de uma loja de varejo na região central da cidade. Com o aumento do número de ciclistas, muitos comércios passaram a disponibilizar paraciclos ou bicicletários e integram o circuito desse novo design de mobiliário urbano.
URL http://pontourbe.revues.org/docannexe/image/3476/img-2.png
Ficheiros image/png, 1,4M
Legenda Foto 3: Folheto de divulgação de empreendimento imobiliário no bairro de Pinheiros, zona oeste. A indicação de distância através do tempo por caminhada e bicicleta indica uma possível mudança cultural com relação à opções de mobilidade.
URL http://pontourbe.revues.org/docannexe/image/3476/img-3.jpg
Ficheiros image/jpeg, 91k
Legenda Foto 4: Rapaz conversa com jovem sentado em sua bicicleta em frente ao edifício nº 911 da Av. Prestes Maia, a maior ocupação vertical da América Latina. A bicicleta está presente em diferentes camadas populacionais e políticas que democratizam seu uso e acesso tem impacto direto na segregação socioespacial.
URL http://pontourbe.revues.org/docannexe/image/3476/img-4.jpg
Ficheiros image/jpeg, 136k
Legenda Foto 5: Bicicleta com suporte para carregamento de cargas contendo placa com a indicação ‘menos um carro’, avistada no bairro de Pinheiros, região oeste da cidade.
URL http://pontourbe.revues.org/docannexe/image/3476/img-5.jpg
Ficheiros image/jpeg, 101k
Legenda Foto 6: Grupo de moradores de rua expõe bicicleta com o anúncio “Aceitamos Doações”, próximo ao terminal de ônibus de Santana, zona norte da cidade.
URL http://pontourbe.revues.org/docannexe/image/3476/img-6.jpg
Ficheiros image/jpeg, 138k
Legenda Foto 7: Grupo de ciclistas realiza pausa em uma manhã de sábado, durante trajeto próximo à estação Vila Prudente do metrô, zona leste. Conhecidos como ‘grupos de pedal’, estão presentes em todas as regiões da cidade e organizam-se predominantemente online.
URL http://pontourbe.revues.org/docannexe/image/3476/img-7.jpg
Ficheiros image/jpeg, 101k
Legenda Foto 8: Vendedor utiliza bicicleta para expor seus produtos em região comercial da zona norte da cidade. Com poucas adaptações necessárias para sua utilização comercial, a bicicleta é uma possibilidade prática e barata para o transporte tanto do vendedor quanto de seus produtos.
URL http://pontourbe.revues.org/docannexe/image/3476/img-8.jpg
Ficheiros image/jpeg, 135k
Legenda Foto 9: Juliana, barista, posa ao lado de sua bicicleta adaptada, o bike café ‘Café com Calma’. De modo similar aos food trucks, food bikes se espalharam pelo cenário da cidade e estão presentes em vários locais, alcançando clientes além da comunidade de ciclistas.
URL http://pontourbe.revues.org/docannexe/image/3476/img-9.jpg
Ficheiros image/jpeg, 135k
Legenda Foto 10: Alguns serviços públicos também adotaram a bicicleta no seu dia-a-dia, como agentes de trânsito e lixeiros. Na foto, bicicletas customizadas utilizadas por policiais em uma base móvel localizada na entrada do parque Trianon, na Av. Paulista.
URL http://pontourbe.revues.org/docannexe/image/3476/img-10.jpg
Ficheiros image/jpeg, 97k
Topo da página

Para citar este artigo

Referência eletrónica

Carolina Cássia Conceição Abilio e Maria da Penha Vasconcellos, « Eu Vou de Bike: a ocupação de bicicletas nos espaços públicos de São Paulo », Ponto Urbe [Online], 20 | 2017, posto online no dia 30 Junho 2017, consultado o 20 Novembro 2017. URL : http://pontourbe.revues.org/3476 ; DOI : 10.4000/pontourbe.3476

Topo da página

Autores

Carolina Cássia Conceição Abilio

Mestranda do programa de Mestrado Profissional em Ambiente, Saúde e Sustentabilidade da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo | carol.abilio@usp.br

Maria da Penha Vasconcellos

Professora Doutora vinculada a Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo | mpvascon@usp.br

Artigos do mesmo autor

Topo da página

Direitos de autor

© NAU

Topo da página
  • Logo Núcleo de Antropologia Urbana da USP
  • Logo Universidade de São Paulo
  • Revues.org