Navegação – Mapa do site
Dossiê: Novos olhares sobre o Rio de Janeiro
Outros rios

Salve São Miguel Arcanjo: a Umbanda em Procissão

Save St. Michael the Archangel: Umbanda in Procession
Anderson Soares Gaspar

Texto integral

1A procissão em homenagem a São Miguel Arcanjo vem sendo realizada anualmente desde 1966, sempre no mês de setembro, no sábado próximo ao dia 29, dia de comemoração do santo. É organizada por um grupo de religiosos umbandistas pertencentes ao Centro Espírita São Miguel Arcanjo - CESMA -, localizado no município de Magé, região metropolitana do Rio de Janeiro. Os fiéis ao chegar reverenciam o andor com a imagem do Santo e se reúnem nas dependências do centro espírita antes do início da procissão. Na cozinha a refeição servida no dia da procissão é composta por uma sopa de carnes com legumes que é servida a todos os participantes. Durante o evento reúnem-se centenas de pessoas, entre os filhos, netos e bisnetos de santo do líder religioso, todos pertencentes ao conjunto de terreiros associados ao CESMA.

2A programação de atividades do terreiro é ampla e diversificada, mas a procissão é o evento de maior representatividade tanto para o “povo de santo” como para a cidade, reunindo centenas de adeptos religiosos de todos os terreiros “associados” no país e mobilizando uma quantidade expressiva de pessoas da cidade, que vão para a rua assisti-la. Estima-se que o número total de participantes ultrapasse mil pessoas.

3Com as vestimentas próprias do culto e com as “guias” (colares) de suas entidades, os fiéis umbandistas saem às ruas carregando o andor com o Santo Padroeiro. Cada centro espírita vem representado por bandeiras, com emblemas e insígnias específicas, carregadas pelos líderes religiosos de cada terreiro associado. Os demais adeptos levam nas mãos um suporte, chamado de “lanterna” (archote), com uma vela acesa dentro.

4A procissão percorre grande parte do município, incluindo a quase totalidade da região central da cidade, com saída e retorno no próprio terreiro. Durante a procissão os fiéis cantam alternadamente músicas em homenagem a São Miguel Arcanjo e o Hino da Umbanda. Nas ruas por onde a procissão passa, as pessoas aguardam em seus portões, janelas ou terraços sempre com velas acesas e copos de água.

5A procissão que foi realizada pela 48ª vez neste ano (2014) amplia-se e ganha cada vez mais expressão regional e parece alcançar, com o passar dos anos, uma importância cada vez mais significativa para os rumos desta tradição religiosa no Estado do Rio de Janeiro, transformando-se numa espécie de eixo em torno do qual a religião tem se estruturado, crescido e adquirido reconhecimento institucional. É como se a Umbanda voltada para si de repente se abrisse para a comunidade, reivindicando possuir, ela própria, as condições necessárias para acolher a devoção popular.

6E a crescente importância adquirida pela Umbanda através da procissão acaba configurando esta última como um evento ao mesmo tempo religioso e social, já que faz parte não somente do calendário religioso do conjunto dos terreiros, mas também da cidade, que fica bastante receptiva à sua passagem.

Topo da página

Para citar este artigo

Referência eletrónica

Anderson Soares Gaspar, « Salve São Miguel Arcanjo: a Umbanda em Procissão », Ponto Urbe [Online], 15 | 2014, posto online no dia , consultado o 24 Junho 2017. URL : http://pontourbe.revues.org/2038 ; DOI : 10.4000/pontourbe.2038

Topo da página

Autor

Anderson Soares Gaspar

Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (PPCIS-UERJ)

Topo da página

Direitos de autor

© NAU

Topo da página
  • Logo Núcleo de Antropologia Urbana da USP
  • Logo Universidade de São Paulo
  • Revues.org